03 / 09 / 2014
RSS

Página de ContatoE-Commerce no Brasil – Mais de 21 milhões de pessoas acessaram uma loja online em 2009, um número de expressão, mesmolevando em conta que dos 21 somente 12 milhões efetuaram uma compra (muitos ainda utilizam sites de loja para fazerem pesquisas de preços).

E porque isso? De acordo com uma pesquisa feita pelo Datapopular mostrou que 61% dos internautas de baixa renda costumam conferir os produtos em lojas físicas antes de fechar a transação pela internet.

Ou tem medo de cometerem um erro no momento da compra e não encontram garantias nos varejistas virtuais atualmente, que façam eles transitarem da compra em loja física para a virtual.

Mesmo assim o Brasil é o segundo país com maior índice de preocupação com transações financeiras on-line, ficando atrás apenas da Alemanha, e a frente de grandes potências econômicas como o USA em estudo foi feito pela Unisys.

Futuro do E-Commerce

O ecommerce nunca sofreu uma grande mudança, mas nos últimos anos vemos a chegada de novas tecnologias que estão dando “asas a imaginação” de muitos empresários, com isso temos a aparição de novas modalidades no e-commerce:

M-Commerce – Mobile Commerce

Comércio Eletronico Móvel está cada vez mais se tornando uma realidade. Segundo a ABI Research americana, vamos fechar 2010 com 2.4 bilhões de dólares em vendas no varejo via celular. Já existem previsões de que em 2012 o celular irá superar o PC como o principal gadget de acesso a internet . Existe a previsão de que tudo será resolvido através do celular, e as vendas no varejo não serão exceção.

T-Commerce – Television Commerce

Dada a presença massiva da Televisão no Brasil e os avanços do Ginga, a plataforma de Televisão Digital Interativa do SBTVD, em breve as compras poderão ser feitas durante os anúncios e inserções nos programas de TV. Uma das principais características desta forma de e-commerce é a redução do tempo entre o anúncio e uma venda, o que deverá aumentar ainda mais os números do ecommerce no país. Em 2016 o sinal de TV analógica (como conhecemos) no Brasil deve ser desligado e a maioria das TVs – hoje presentes em mais de 90% dos lares brasileiros – deverá contar com recursos de interatividade que permitirão o T-commerce.

SNO (Social Network Optimization)

Redes sociais são a veradedeira febre do momento na internet. Grandes redes de e-commerce já começam a usá-las como ferramenta de marketing viral, atingindo diretamente seus clientes.

Lojas Virtuais Privadas

Isso ainda está “engatinhando” no Brasil, mas teve um grande crescimento no EUA em 2009. Quando uma grande loja virtual decide queimar seus estoques, está precisa fazer de uma maneira mais privada criando sites fechados onde somente um grupo seleto de usuários de seu site aberto tem a possibilidade de acessar.

Produtos Virtuais

Hoje já uma realidade. Grandes lojas como Saraiva e Submarino já oferecem produtos virtuais como filmes, jogos, softwares, livros entre outros. Cada vez mais se torna uma forma prática de ecommerce, tanto para o comprador (este não se preocupa em perder um livro, ou estragar um DVD, pois tudo é digital e pode ser feito download a qualquer momento após a compra) como para o venderdor (este não precisa de estoque por exemplo). E com a chegada do Kindle e principalemente do IPad vemos que esse será um dos pontos fortes do e-commerce nos próximos anos.

Página de Contato
Get Adobe Flash player